Campinense venceu Operário-PR, mais não conseguiu a classificação

Campinense venceu Operário-PR, mais não conseguiu a classificação

649
0
COMPARTILHAR

Apesar da vitória no tempo normal, a Raposa não conseguiu seguir com o sonho de subir à Série C

O Campinense entrou em campo na tarde deste domingo (4) precisando  vencer para continuar com o sonho do acesso à Série C do Campeonato Brasileiro. A pedra no caminho era o Operário-PR, que venceu o primeiro jogo das oitavas de final por 1 a 0 em Ponta Grossa-PR. Dessa vez, a Raposa contou com o apoio de sua torcida no Amigão.

E logo no início do jogo, o torcedor raposeiro tomou um susto. Aos 9 minutos, em cobrança de escanteio, Marcelo Xavier apareceu e cabeceou na trave do gol defendido por Gledson. Se a bola tivesse entrado, o Campinense teria que fazer três gols para se classificar.

Apesar do susto, quem saiu na frente foi o Rubro-Negro aos 22 minutos. Após muito martelar, a bola balançou o fundo das redes com Valdeir, que mandou um chutaço de fora da área, no ângulo do goleiro do Operário, Paulo Sérgio.

Mesmo com a pressão exercida pela Raposa, que contava com o apoio massivo de sua torcida, o Operário jogava com muita consciência tática, trazendo muitos perigos ao time paraibano.

Etapa final

Durante a etapa final, o jogo foi um verdadeiro teste para cardíaco. As duas equipes buscaram de maneira incessante o placar que lhes garantiriam a classificação no tempo normal, já que o placar de momento levava a decisão para os pênaltis.

O time do Campinense jogava com garra e determinação, mas o time paranaense era mais equilibrado em campo e chegava com mais perigo. Aos 28 minutos, quase o empate em cabeceamento de Joelson, que esbarrou na trave, mais uma vez.

Aos 45 minutos, a Raposa ganhou vantagem numérica após a expulsão de Chicão, que impediu chance de gol do atacante Adalgiso Pitbull. O time paraibano contou com 6 minutos de acréscimo para aproveitar a vantagem, mas não conseguiu fazer o gol que lhe daria a classificação sem precisar das penalidades máximas.

E nas cobranças de pênalti, quem levou a melhor foi o Operário. O time paranaense venceu por 4 a 3, com conversões acertadas de: Bombinha, Doda, Juninho, Paulo Sérgio. Rossi foi o único que errou a cobrança; pelo lado do time da casa, Valdeir, Tiago Sala e Éder acertaram. Felipe Ramon e Rodrigão erraram. O time de Paraná avançou para as quartas-de-finais e joga mais uma eliminatória para tentar a ascensão à Série C.

Ficha técnica

Campinense 1 x 0 Operário-PR

Pênaltis: Campinense 3 x 4 Operário-PR

Data: 04/10/2015 – 16h

Local: Estádio Amigão / Campina Grande

Competição: Campeonato Brasileiro da Série D – oitavas de final (jogo da volta)

Arbitragem: Renato Cardoso da Conceição (CBF-2/Minas Gerais); Ricardo Junio de Sousa (CBF-2/Minas Gerais) e Wesley Moreira de Carvalho (CBF-2/Minas Gerais)

Cartões amarelos: Leandro Sobral (CC); Chicão, Rossi, Capa (OFEC)

Cartão vermelho: Chicão (OFEC)

Gol: Valdeir (aos 21′ do 1ºT) para o Campinense

Campinense: Gledson, Grafite, Joécio (João Paulo), Tiago Sala e Felipe Ramon; Negreti, David (Éder), Leandro Sobral (Adalgiso Pitbull) e Valdeir; Túlio Renan e Rodrigão. Técnico: Francisco Diá.

Operário-PR: Paulo Sérgio, Alemão, Marcelo Xavier, Juan Sosa e Capa; Chicão, Lucas (Pedrinho), Doda e Renan Oliveira (Julinho); Rossi e Joelson (Elionar Bombinha). Técnico: Itamar Shulle.

WSCOM Online e TV TORCEDOR

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA