Diretor jurídico da FPF quer banir do futebol o vice-presidente

Diretor jurídico da FPF quer banir do futebol o vice-presidente

456
0
COMPARTILHAR
Foto: TV Torcedor

“Estamos tentando junto ao Fórum Desportivo Brasileiro banir esse senhor (Nosman Barreiro) do futebol”, disparou

O presidente da Federação Paraibana de Futebol  (FPF) acusou o vice-presidente da entidade, Nosman Barreiro, de se utilizar de manobras para  tentar antecipar o processo eleitoral na entidade. “Estamos tentando junto ao Fórum Desportivo Brasileiro banir esse senhor (Nosman Barreiro) do futebol”, disparou o diretor jurídico da instituição.

O advogado Marcos Souto desmentiu que a FPF esteja escondendo a prestação de contas relativa ao exercício financeiro de 2015, conforme denúncia protocolada na Justiça por duas equipes de futebol. “As prestações de contas já foram realizadas e estão à disposição de qualquer clube filiado à entidade liberadas no site da CBF”, revelo.

Segundo Marcos Souto, um dos clubes citados na ação contra o presidente da FPF, Amadeu Rodrigues, o Cruzeiro de Itaporanga, está em processo de desfiliação junto à CBF e, portanto, não tem legitimidade para exigir prestação de contas. “Agora o Cruzeiro esta em processo de desfiliação junto a CBF, não participou durante dois anos de competições, além de não ter alvará de funcionamento. Já a Liga Desportiva de Santa Rita, através do seu presidente, José Roberto, disse-me que não autorizou a Nosman entrar com qualquer ação perante a justiça comum ou desportiva.” Destacou Souto Maior.

O diretor jurídico da FPF disse que vai aguardar ser notificado pela Justiça para contestar a ação. “Não tem legitimidade o Cruzeiro, o foro próprio é na justiça desportiva. Entrar com ação na justiça comum é causa de desfiliação do clube, mas vamos a guardar se é verdade a existência dessa medida judicial.”.

Marcos Souto lembra que o vice-presidente foi o primeiro a se manifestar contrário as mudanças no regimento interno da FPF para moralizar a entidade.

O Cruzeiro de Itaporanga e a Liga Desportiva de Santa Rita entraram com uma ação 13ª Vara Cível da Capital para que a FPF convoque uma assembleia geral e apresente as contas referentes ao ano de 2015.

As duas entidades pedem ainda o afastamento do presidente da FPF, Amadeu Rodrigues, em caso de descumprimento.
Fonte: Click PB

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA