Paraibano Petrúcio Ferreira vence 400m no Mundial Paralímpico de Atletismo

Paraibano Petrúcio Ferreira vence 400m no Mundial Paralímpico de Atletismo

148
0
COMPARTILHAR

Petrúcio Ferreira provou que está preparado para dominar as provas de velocidade na categoria T 47 (amputados de membros superiores), no terceiro dia do Mundial Paralímpico de Atletismo, em Dubai. O recordista mundial das provas dos 100m e 200m, voou na prova dos 400m, quebrando o recorde do campeonato com o tempo de 47s87 e ainda garantiu a vaga em Tóquio.

Brasil também conquistou a prata com Thomaz Ruan de Moraes, de 18 anos, estreante em Mundiais, com recorde pessoal de 48s27. Yohansson Nascimento não conseguiu completar o pódio brasileiro e terminou na quarta colocação com 49s31.

Final dos 400m tem dobradinha brasileira no Mundial de Atletismo Paralímpico

Final dos 400m tem dobradinha brasileira no Mundial de Atletismo Paralímpico

– Só alegria! Este Mundial foi um teste para Tóquio. A prova dos 400m não é a minha especialidade, mas quando eu entro para um desafio, eu vou até o final. Comecei a atacar nos metros finais e vi que poderia ter um bom resultado – falou Petrúcio após a corrida para o GloboEsporte.com.

Logo após a vitória, Petrúcio vestiu chapéu de couro típico do nordeste. O velocista que é paraibano, de São José de Brejo do Cruz, dedicou a conquista a todos os nordestinos.

Petrúcio Ferreira vence os 400m na categoria T 47 e homenageia os nordestinos — Foto: CPB

Petrúcio Ferreira vence os 400m na categoria T 47 e homenageia os nordestinos — Foto: CPB

– Eu disse ao meu técnico que se vencesse a prova, ele me entregaria o chapéu para mostrar que fui guerreiro para chegar até aqui. Todos os nordestinos vão reconhecer este chapéu de couro. Eu quero mostrar a garra e a força do povo nordestino. No início eu sofri preconceito, mas hoje eu tenho muito orgulho!

Com a prova dos 200m fora dos Jogos Paralímpicos de Tóquio, em 2020, o técnico Pedro Almeida decidiu arriscar na prova dos 400m e deu certo.

– No fundo, o Petrúcio não gosta desta prova porque a especialidade dele é os 200m. Mas como ele tem potencial para prova dos 400m, a gente foi trabalhando na cabeça dele e arquitetando um traballho que culminou na medalha hoje – avaliou sobre o excelente resultado da noite.

Brasil garantiu vaga na final dos 400m classe T20 ( deficiência intelectual) com Daniel Martins. O atual recordista mundial venceu a bateria com tempo de 49s92.

Na final dos 200m classe T35 (paralisia cerebral), o medalhista de prata da Rio 2016 Fábio Bordignon largou bem, mas não conseguiu acompanhar o ritmo forte e terminou em quarto, com 26s15. O vencedor foi o ucrianiano Ihor Tsvietov, quebrando o recorde mundial, com 23s04.

Tascitha Oliveira Cruz, nos 200m feminino classe T36 (paralisia cerebral), terminou em sétimo com 31s80. O ouro ficou com a chinesa Yiting Shi, com 28s21, que baixou o próprio recorde mundial. Na final masculina 400m T37, Vitor de Jesus terminou na quinta colocação, com 42s81.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA