Acesso inédito, retornos históricos e nordestino sem classificação: o saldo das quartas...

Acesso inédito, retornos históricos e nordestino sem classificação: o saldo das quartas da Série C

400
0
COMPARTILHAR

A disputa da Série C não terminou, mas o momento mais importante já passou, com frustração para alguns e alegria para outros. As quartas de finais definiram os quatro acessos com surpresas do atual cenário nacional. EnquantoBotafogo-SP e Operário-PR conseguiram retornar à Série B após muitos anos longe da divisão, o Cuiabá irá disputá-la pela primeira vez.

Entre os times que conquistaram o acesso, o Bragantino é o mais habituado em participações recentes na segunda divisão nacional. A última foi em 2016, quando foi rebaixado. O Operário-PR, por sua vez, é o clube que estava há mais tempo longe da Série B, longe da competição desde 1991.

 NORDESTINO
Curiosamente, todos os acessos saíram do Grupo B. Enquanto isso, para os quatro classificados do Grupo A, sobrou a frustração. O time que menos sentiu a eliminação foi o Atlético-AC, que chegou da Série D no ano passado e não era visto como um dos candidatos ao acesso, mas surpreendeu a todos com uma grande campanha, sendo eliminado com dignidade diante do Cuiabá.

00:00
/
00:00
00:00
Share
Embed

Copy to clipboard: Ctrl+C / Cmd+C

Acesso inédito, retornos históricos e fracasso nordestino: o saldo das quartas da Série C

Botafogo-SP e Operário-PR conseguiram subir após anos longe da Série B e o Cuiabá subiu pela primeira vez

Publicado em .

Campinas, SP, 29 – A disputa da Série C não terminou, mas o momento mais importante já passou, com frustração para alguns e alegria para outros. As quartas de finais definiram os quatro acessos com surpresas do atual cenário nacional. EnquantoBotafogo-SP e Operário-PR conseguiram retornar à Série B após muitos anos longe da divisão, o Cuiabá irá disputá-la pela primeira vez.

Entre os times que conquistaram o acesso, o Bragantino é o mais habituado em participações recentes na segunda divisão nacional. A última foi em 2016, quando foi rebaixado. O Operário-PR, por sua vez, é o clube que estava há mais tempo longe da Série B, longe da competição desde 1991.

DE VOLTA
O jejum do time de Ponta Grossa era de 27 anos. De 91 para trás, disputou a segundona em apenas em cinco oportunidades e a elite em uma. Para renascer, o Fantasma amargou muitas decepções, ficando de 1994 a 2009 sem participar nenhuma divisão nacional. Após esse período, disputou a Série D quatro vezes (2010, 2011, 2015 e 2017), conseguindo o acesso à Série C na temporada passada e aproveitando o embalo para chegar à Série B após o primeiro ano na terceira divisão.

Bragantino eliminou o Santa Cruz e voltou à Série B. (Foto: Caio Falcão)

Bragantino eliminou o Santa Cruz e voltou à Série B. (Foto: Caio Falcão)

Depois do Operário, o time há mais tempo sem disputar a segunda divisão é o Botafogo-SP, fora desde 2002. Na história, esteve presente em 15 edições da Série B, inclusive sendo vice-campeão em 1998, e em seis da Série A.Em 2001, um ano antes de disputar a Série B pela última vez, o Pantera foi rebaixado da elite depois de ter sido vice-campeão paulista. A partir daí, depois de viver um dos melhores momentos de sua história, veio a derrocada. Em 2003, foi eliminado da Série C e ficou sem calendário nacional, além de ter sido rebaixado no estadual.

Depois de um processo de reconstrução, o Botafogo se reencontrou no estadual, onde chegou até a disputar a Série A3, e reconquistou espaço no cenário nacional. Após participações nas séries D de 2010 e 2013, conseguiu o acesso na terceira tentativa, em 2015.

Cuiabá conquistou pela primeira vez o acesso à Série B. (Foto: Pedro Lima / Cuiabá EC)

Cuiabá conquistou pela primeira vez o acesso à Série B. (Foto: Pedro Lima / Cuiabá EC)

INÉDITO
Apesar dos retornos de dois times que viviam longos jejuns, a grande novidade da Série C foi o acesso do Cuiabá, que nunca em sua história disputou a Série B. Fundado em 2001, o time subiu da Série D em 2011 e precisou de sete temporadas para chegar à terceira divisão nacional.FRACASSO NORDESTINO
Curiosamente, todos os acessos saíram do Grupo B. Enquanto isso, para os quatro classificados do Grupo A, sobrou a frustração. O time que menos sentiu a eliminação foi o Atlético-AC, que chegou da Série D no ano passado e não era visto como um dos candidatos ao acesso, mas surpreendeu a todos com uma grande campanha, sendo eliminado com dignidade diante do Cuiabá.

Operário está de volta à Série B após 27 anos. (Foto: José Tramontin / OFEC)

Operário está de volta à Série B após 27 anos. (Foto: José Tramontin / OFEC)

O gosto mais amargo ficou com os nordestinos, principalmente com a dupla pernambucana. Tanto Náutico quanto Santa Cruz foram rebaixados da Série B no ano passado e começaram a disputa da Série C como favoritos ao acesso.Após se revezarem entre participações na Série B e na Série A nos últimos anos, os dois vão ficar sem calendário até o início do Campeonato Pernambucano, em 2019.Do lado do Botafogo-PB, também houve frustração. Com a eliminação para o Boafogo-SP, o Belo caminha para a sexta participação seguida na Série C. Neste período, já havia sido eliminado nas quartas de final para o Boa Esporte, em 2016.

Com a permanência do trio, o Nordeste pode ter uma representatividade mínima na Série B de 2019, já que Sampaio Corrêa e CRB brigam contra o rebaixamento e o CSA pelo acesso. Ainda assim, é possível que algum nordestino seja rebaixado da Série A, como Ceará e Sport, hoje integrantes da zona de rebaixamento.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA